Uni-ANHANGUERA



Os últimos anos têm pautado a presença das histórias em quadrinhos na escola, tanto como atividade de leitura quanto em práticas usadas em sala de aula. Dos Parâmetros Curriculares Nacionais [PCN] ao Programa Nacional Biblioteca na Escola [PNBE], houve uma gradativa inserção do tema na área educacional brasileira. Mais do que isso: quadrinhos se tornaram política educacional do país. As histórias em quadrinhos, em seus diferentes gêneros, oferecem possibilidades diversas de aplicações no universo escolar, em todos os seus níveis.

O desafio é saber olhar os quadrinhos como um recurso pedagógico. O uso de histórias em quadrinhos (hq) tem se mostrado um recurso interessante para o ensino de conceitos químicos.

Tal perspectiva parte da associação das HQ’s à inserção das atividades lúdicas em sala de aula. Atividade Lúdica pode ser definida como “qualquer atividade prazerosa e divertida, livre e voluntária, com regras explícitas e implícitas.” Para Soares (2008), a ação pedagógica precisa considerar o prazer e o divertimento como etapas do processo de ensinar e aprender para que se obtenham resultados significativos em termos de compreensão e apropriação de conceitos.

A finalidade da II EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA – 6º FESTIVAL DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS DE QUÍMICA NO COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DE GOIÁS UNIDADE AYRTON SENNA foi promover o estudo da Radioatividade e sua ação no homem e na natureza, através da leitura e análise de algumas HQ’s.

O evento foi realizado nos turnos matutino e vespertino, onde os acadêmicos do 1º período de Medicina Veterinária e o estudantes  do 3 ano do ensino médio, sob a supervisão da Prof Me. Thaiza Montine Gomes dos Santos Cruz  interagiram para demonstrar a relação da bioquímica nos acidentes radiológicos e radioativos que aconteceram em todo o mundo.

Vários estudantes se apresentaram caracterizadas por seus personagens de histórias em quadrinhos favoritos e o resultando foi uma aprendizagem lúdica incomparável!!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.